terça-feira, 1 de março de 2016

Peregrinação ao diabo


Você conseguiu...
Terminou a universidade
Chorou como criança na igreja
Atingiu o ápice da insanidade
Provou para o vizinho sua capacidade

Sua rotina foi um roteiro,
fome,
sede,
cansaço,
 sujeira

e os tímpanos funcionando como bueiro

Ai quanta lameira...
Foi um servo obediente
Todo dia respondendo presente
Anotando ditados da incerteza
Ouvindo os mestres gordos
e suas pompas de realeza

Paredes brancas aprisionando o espírito
Lavagem cerebral jorrada
a cada controverso texto escrito
Comprou livros antiquados
por seus conservadores escritores venerados
Investiu toda sua grana na grama
Pensou em um copo de cerveja
a cada novo diagrama
Atrofiou sua mente por cinco anos
Ficou decorando
inúteis questionários pelos cantos
Esqueceu os velhos amigos
e os papos interessantes
Adequou-se ao comportamento fútil
dos ricos repugnantes
Trocou o livro de poesia
pela conversa com a loira vadia
Trocou a política do Senado
para cobiçar o corpo do jovem bombado

Trocou o bom e velho Rock’n Roll libertador
para adentrar as fétidas orgias
da cultura sem valor

Trocou a boa e velha pesquisa elaborada
por um mero botão de uma máquina
extremamente viciada

Ai que saudades da leitura...
cada linha era a porta
para uma nova aventura

Mas você conseguiu...
Vendeu a perturbada alma ao diabo
Alimentou de ambição seu coração alucinado
Passou por cima de tudo e todos
Transformou-se no tão sonhado gerente

Engomado
Enfartado
Uma mulher acorrentada em casa o dia inteiro
Uma amante para gastar todo o seu dinheiro
Um filho esquecido e desprezado
Futuro delinqüente

Seus melhores amigos...
Celular
Computador
Com quem falará
no momento da dor?

Mas você conseguiu... pode crer
Beijou o prazer íntimo do poder
Descartou pessoas
como quem descarta um animal
no momento de morrer

Diariamente
a maravilhosa humildade do viver
foi abortada pela triste arrogância
do fazer sofrer

Mas tudo valeu a pena...

Conta bancária grande
Pureza da alma pequena
Lista grande de lugares visitados pelo mundo
Lista pequena de amigos
e um grande vazio no fundo...

Mas tudo valeu a pena?
Claro, pois você conseguiu...
Você conseguiu...
Você conseguiu...

Você conseguiu o quê mesmo?

7 comentários:

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Querido amigo, Evandro, passamos por tudo que você listou em seu rico poema, e hoje nos vem a pergunta :-para quê?
Confesso que já fiquei por algum tempo me perguntando o porquê de ter me violentado tanto, mas precisava ser, precisa conseguir.....e, assim seguir em frente, para parar agora, e olhar para trás. Gostei muito. Abraço!

ॐ Shirley ॐ disse...

Os seus poemas, Evandro, são fortes e contundentes. O poema que acabo de ler é lindo demais. Mas, na verdade, eu não gostei...EU ADOREI!!!
Parabéns, beijos!

Zilani Célia disse...

OI EVANDRO!
CONTUNDENTE E VERDADEIRO.
QUANTAS PESSOAS DEVEM ESTAR SE VENDO EM TEU TEXTO.
AMIGO, PARA ENTRAR EM TEU BLOG, PRECISEI IR AO GOOGLE, POIS DE TEU COMENTÁRIO NO MEU ,NÃO FOI POSSÍVEL, NÃO ABRE TUA PÁGINA. SE FOR COISA SÓ MINHA ME DESCULPA MAS, O OBJETIVO É TE ALERTAR SE HÁ ALGO COM TEU BLOG, DÁ UMA OLHADA LÁ.
ABRÇS
. http://evandromezadri.blogspot.com

Lady Viana disse...

Evandro,

Que poema realista, um espelho a refletir o que muitas vezes, já experimentamos no decorrer da vida. Mas, amigo, alguns acordam a tempo e conseguem voltar aos trilhos de seus sonhos e aos desejos mais íntimos, afinal, todos queremos ser felizes, experimentar aqueles quereres que despertam o nosso íntimo, que levam o nosso ser ao êxtase.
Um abraço e uma ótima semana para você.

© Piedade Araújo Sol disse...

Evandro

um poema forte, acutilante e real.

fica a pergunta final, e essa é que doí e muito.

um poema longo mas muito assertivo.

um beijo

:)

Anderson Lopes disse...

De verdade, sem palavras!
Um dos mais emocionantes poemas que já li!

Franciéle Romero Machado disse...

Nossa, que poema mais perfeito! Parabéns! *--* Da forma com que traduz a vida de alguém que vive em função do dinheiro e da superficialidade, enganando-se a si mesmo. Espero que alguém assim se depare com essas palavras, pois a reflexão desses versos é intensa e nos leva a pensar várias coisas.

Abraços!