quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Nefasto labirinto


Sol em brilho ínfimo

Olhar vazio em magia

Alma circundada
em infinito inverno

Decadente corpo

Rasteja melancolicamente
ao nada

Febril gota de pranto

O último respirar da vida
clamou ao longínquo
mar de alegrias

Um braço de água
para irrigar
a esmaecida e degradada
floresta de concreto

Ela tenta fugir
do nefasto labirinto humano

Ainda resta a dança no fogo
das imaculadas pistas
dos castelos de sonhos
de criança

Que a aurora
tarde a surgir...

13 comentários:

Salete disse...

De certo as crianças irão mudar esse cenário.

A forma como vc construiu seu poema é maravilhosa, Evandro.Gostei muito.

Beijo.

ॐ Shirley ॐ disse...

Despedir-se desse medíocre mundo material, que ainda não conseguiu estabelecer a paz entre os homens, será tão penoso assim?...
Seu poema foi criado com muito esmero, querido Evandro.
Beijos!!!

sub helena disse...

Evandro,

Lindo texto. Vivemos em um labirinto íntimo, dia a dia, tentado entender esses emaranhados de nós, que nos cercam a alma, que nos inquietam o ser... E como escrevestes tão bem, ainda bem que:

"Ainda resta a dança no fogo
das imaculadas pistas
dos castelos de sonhos
de criança..."

Poeta, grande abraço e sucesso!

© Piedade Araújo Sol disse...

Evandro

seu poema repleto de labirintos e cheio de metáforas e realidades.

forte e intenso.

um bom domingo.

beijo

:)

Fê blue bird disse...

Evandro:

Os sonhos de criança conseguem milagres.

Um belo e intenso poema.

Um beijinho

Franciéle Romero Machado disse...

Olá tudo bem?
Seu poema é tão intenso pois pode explorar muitas coisas. Ao ler me passou a sensação de fim de vida, onde o mal que chega torna-se um labirinto e agride assim a continuidade de uma vida, enquanto a pessoa de depara a ilusões e memórias. Talvez tenham outra coisa como a prisão em um caos que torna-se viver lado a lado aos humanos, de forma que tornaria-se solução esse afastamento dos males que aflingem.
Sinto mais forte soar o primeiro sentido!

Abraços e tenha uma boa tarde, sucesso!!

Desa disse...

Olá, agradecida pela visita!Acho que todos aqui já comentaram o que eu poderia falar.No entanto, esse mundo caótico, esse labirinto em que vivemos nos impulsa ou não a continuarmos, a sobrevivermos ou a vivermos de fato um pouco mais, não de forma banal, mas tentando encontrar um sentido em estarmos vivos.

Fábio Murilo disse...

Poema bem atual,ecologicamente correto. Gostei!

Paulo Silva disse...

Uma lufada de poesia intensa, magnífica.
Sempre fico feliz em te ler, é sempre visto depositado tanto talento e amor às palavras, aqui...
Abraço, meu amigo.

Zilani Célia disse...

OI EVANDRO!
QUANDO A VIDA PASSA A SER UM NEFASTO LABIRINTO, HÁ QUE FUGIR.
MARAVILHA!
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Anderson Lopes disse...

Esse rastejar ao nada as vezes nos revela tudo!
Grande abraço!

Zilani Célia disse...

OI EVANDRO!
RELENDO E TE DEIXANDO MEUS VOTOS DE UMA ÓTIMA SEMANA.
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Janaina Cruz disse...

E a vida flui em meio ao caos, em maio aos cacos de sonhos... Sempre linda tua inspiração!!!