quarta-feira, 1 de julho de 2015

Relógio


Deus mecânico e de desejos intocáveis
Nos ordenando em um reino sinistro e insano
Recordando em nós vitórias e derrotas memoráveis
No vai e vem apressado de cada ano

O tempo é o seu Pai lhe espiando do horizonte
Rindo de todo homem que lhe obedece
Seguro que não há meios de afronte
Ao destino traçado da vida, que a cada dia padece

Nos pressiona a cada segundo
Nos adoece a cada minuto
Nos envelhece a cada hora em que muda o mundo
Nos aproxima da morte, a cada anoitecer de luto

Mas a vingança, ó Deus sem caridade
Será a viagem final de nossas almas, dourado companheiro
A minha atingirá a plenitude majestosa da eternidade
E a sua os confins pútridos de um lixeiro!

9 comentários:

sub helena disse...

Evandro,
Somos por natureza inimigos do tempo, soldados insanos, agrupados em uma trincheira invisível, travando resistências tolas, traçando planos, retas, metas, com a bússola dourada a mão... Cada segundo, cada minuto vivido, rumo à um destino traçado, lutamos pelo simples prazer de lutar, uma batalha perdida em favor do tempo.
Lindo texto, faz refletir...
Uma linda semana amigo e sucesso.

© Piedade Araújo Sol disse...

Evandro

achei este trabalho teu um pouco amargo e diferente dos que tenho lido teu.

estados de alma..acho eu.

bom fim de semana.

beijos

:)

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, Evandro, somos todos amigos e inimigos do tempo simbolizado pelo relógio, o qual sempre existiu de uma maneira ou outra para nos ameaçar....
ficamos à espreita de que ele páre um dia, mas como seu poema nos diz ele parará no lixo da ferrugem e nós na plenitude da vida e o tempo continuará.
Seu poema nos dá a oportunidade de fazermos várias leituras e muita reflexão, sobre o tempo que é implacável.Grande abraço!

Artes e escritas disse...

Gostei do seu blog e tmabé acho que "deus" sem caridade é um ídolo qualquer que faz qualquer negócio. Sem caridade não é Deus.

Fê blue bird disse...

O relógio não pára, temos que aproveitar o tempo minuto a minuto.
Um poema em tons de revolta.
Um beijinho e bom fim de semana

Zilani Célia disse...

OI EVANDRO!
A ESTE DEUS CHAMADO TEMPO, QUE NOS SUBJUGA, NOS FAZ LUTAR, PRINCIPALMENTE A BATALHA INGLÓRIA CONTRA A MORTE, TAMBÉM VAI O MEU REPÚDIO E A MINHA VINGANÇA...
EVANDRO, TEU TEXTO É SOBERBO.
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Paulo Silva disse...

Somos tudo. Tudo de bom, tudo de mau. Somos sendo.
Abraço.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa noite , Evandro , vim aqui para pedir o seu voto em meu poema.
Esta no espaço da Lindalva. O endereço é:
http://ostra-da-poesia blogspot.com.br
meu poema é o de número 12. Título: Adeus....
Fico -lhe muito grata. Grande abraço!

Anderson Lopes disse...

Evandro, parabéns pelo concurso vencido. A tua poesia merece todas as honrarias?? Grande poeta!
Um abraço