quarta-feira, 1 de abril de 2015

Ode a Baudelaire



Voava lépido e intrépido tal imaculado albatroz
Sulcando as alegrias do sol e tristezas da lua
Destilando o sonho de um curioso em obsessão atroz
Por suas mulheres malditas em viagem ébria e nua

Engolia o vinho dos amantes em um crepúsculo matinal
O relógio inimigo lhe trouxe a alquimia da dor
A varanda e o cachimbo se entrelaçaram
na confissão de sua aurora espiritual
De estar solitário neste abismo incolor

O salão de sua alma foi acometido 
por um canto de outono
A música derradeira soou como veneno para seus ouvidos
A paisagem avistada foi uma gravura fantástica
que lhe mostrou o trono
Da benção ao rebelde concedido

Agora parte, guiado pelos faróis mágicos da eternidade
Vampiro ávido por fonte de sangue consoante e vogal
Velejando na harmonia da tarde 
sem as nódoas da insanidade
Acariciado pela poesia, a voz erótica de sua bela nau 

6 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema muito bem construído e uma bonita homenagem.

boa Páscoa

:)

Zilani Célia disse...

OI EVANDRO!
UMA HOMENAGEM INSPIRADA.
ABRÇS
zilanicelia.blogspot.com;br

sub helena disse...

Amigo, Evandro, que linda Ode, perfeita... Adorei o desfecho: "Velejando na harmonia da tarde
sem as nódoas da insanidade
Acariciado pela poesia, a voz erótica de sua bela nau"
Acho que na realidade, todos nos queremos velejar assim...
Um grande abraço, que tenhamos uma linda semana, beijo.

Fê blue bird disse...

Um poema que homenageia na perfeição Baudelaire.
beijinho e bom fim de semana
~Fê

Rodrigo Moura disse...

Gosto demais da maneira como você desenvolve
teus poemas, fantástica homenagem a Baudelaire, Evandro!
Respondendo as tuas perguntas no meu post,
está tudo bem com o pessoal do grupo, porém extinguimos o
Coesão Poética. Formamos um novo grupo chamado PoetArt,
os integrantes são os mesmos.
Nos reunimos quinzenalmente no ateliê da Ana Duarte,
quando quiser apareça por lá!
Abraços

sub helena disse...

Evandro, grande poeta...

Parabéns, foi muito merecido, poesia linda, fala profundamente... Feridas enigmáticas, quem não as têm? Algumas são impossíveis de se cicatrizarem, convivemos com elas como, com um amigo íntimo, algumas já fazem parte da nossa decoração interna, outras queimam em carne viva... Contudo, fazem parte da nossa história...
Boa semana, muito sucesso e beijo.
sub helena.