domingo, 1 de março de 2015

Estou farto


Estou farto de enterrar meus amigos
Estou farto de ligações inoportunas
e sair sofrendo
para as tristes despedidas noturnas
transformando meus ombros
em ineficientes abrigos

Estou farto de consolar pais, viúvas e irmãos
com aquelas velhas palavras ensaiadas
Fazer o sinal da cruz ao tocar as geladas mãos
dos meus companheiros em longas jornadas

Estou farto em observar flores de amargo odor
enfeitando salas brancas
com suas coloridas cores
conduzindo ao castelo da lembrança
mais um dos novos moradores
Ao fundo o pranto da revolta
fazendo a escolta com a melodia da dor

Estou farto das carreatas
que não representam vitória
e no último adeus interrompendo
parte de minha história
Histórias vividas em conversas de bares
e loucas viagens
terminando em frios jazigos

Como estou farto
de enterrar meus queridos amigos

10 comentários:

ॐ Shirley ॐ disse...

Um desafafo, Evandro?
Um dia seremos nós, o alvo dessas palavras carregadas de indizíveis sentimentos. Navegamos todos, no mesmo barco da vida...
Um beijo e muita paz!

Fê blue bird disse...

Uma tristeza que nos devora.
Um poema que é um desabafo sentido.

Beijinho e boa semana

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema que nos toca profundamente.
a morte é algo que nos custa a aceitar e se for de alguém que nos é querido, ainda custa mais.
e é a lei da vida.
mas que é triste é!
beijo
:(

Fábio Murilo disse...

Muito bonito, Evandro, sentido, verdadeiro. A vida...

sub helena disse...

Ah! Poeta, você não está sozinho em sua "fartidez"... Também estou farta de enterrar amigos e existem muitos como nós por aí a fora, que sofrem com o fato inevitável da vida ser um sopro, uma folha jogada ao vento...
Evandro, lindo poema, cheio de emoção, que tenhamos uma linda semana. Beijo

Franciéle Romero Machado disse...

Esse poema é profundo, não só pela temática da qual trata, mas pelo forma como esta é dita nas linhas. Essa é uma condição triste, da despedida da vida, assim de repente e dessa forma. Seu poema retrata o máximo que é estar farto de algo, os ver indo não só dói muito como faz o indivíduo se perguntar, o por quê tantas e tantas vezes como se fosse possível entender.

Profundo poema, abraços amigo poeta e tenha um bom final de semana!

Evanir disse...

Meu amigo querido, quanta tristeza no seu poema ,
mais até nos poemas tem o lindo dom de poetar.
feliz final de semana.
Beijos mil.
Evanir.

Anderson Lopes disse...

O teu cansaço é pura beleza, Evandro!
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

Evandro

sei que já comentei este poema, mas, venho deixar um abraço.

se é que isso reconforta.

um beijo

:)

Rodrigo Moura disse...

Muito bom, Evandro!
Realmente as despedidas são tristes,
a saudade algo que parece não ter fim.
O poema é forte, mostra que infelizmente
não podemos mudar o rumo das coisas.
Parabéns!!!