terça-feira, 1 de julho de 2014

O atroz frio

 
O atroz frio lacrimeja
Irrompendo entre brumas e vales
E o seu orvalho solfeja
Uma melodia lúgubre de males
 
Males germinando a saudade
Afilada e bordada em cetim
Trazendo de volta a flor da tenra idade
Que eu regava em venturoso jardim
 
Da vidraça de minh'alma, inerte e aparvalhado
Eu clamava que perdurasse este instante
E a momentânea calma ao coração presenteado
Não fosse furtada em despertar lancinante
 
Mas a prece foi estéril, não atendida
E a porta da sala em mais uma manhã escancarada
O atroz frio lacrimejando e vendo minha vida
Pelas pernas da ínfima rotina, sendo levada...

13 comentários:

Camila Locatelli disse...

Vc certamente é um poeta incrivel, já que tem a sensibilidade de transformar lembranças do passado em reflexões no presente. Parabéns

http://falandosobrealgo.blogspot.com.br/

ᄊム尺goん disse...

Colher experiência
em florestas montanhas
cidades

Nos olhos
das pessoas

Em conversas
no silêncio

Rose Ausländer


[contém 1 beijo]

ॐ Shirley ॐ disse...

Querido amigo Evandro, amei o seu poema e pensei: Que bom seria se, de vez em quando, pudéssemos parar o tempo...
Beijos!

sub helena disse...

Evandro, lindo poema. De fato somos impotentes diante dos segundos, minutos e horas. Pensamos que controlamos o momento, ledo engano, somos conduzidos e controlados pelo tempo. Agora dia, daqui um minuto noite, somos folhas soltas guiadas pelo capricho das horas... Um grande abraço e sucesso.
Sub helena.

© Piedade Araújo Sol disse...

memórias que ficam eternizadas em nós...

beijo

:)

Zilani Célia disse...

OI EVANDRO!
O FRIO ATROZ, TRAZENDO LAMPEJOS DE JUVENTUDE EM NÃO MENOS ATROZ SAUDADES.
VERSOS INTENSOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Fábio Murilo disse...

Tou sentindo essa sensação agora, amigo, como doí!

Evanir disse...

Mais que uma mão estendida
mais que um belo sorriso
mais do que a alegria de dividir
mais do que sonhar os mesmos sonhos
ou doer as mesmas dores
muito mais do que o silêncio que fala
ou da voz que cala, para ouvir
é, a amizade, o alimento
que nos sacia a alma
e nos é ofertado por alguém
que crê em nós.
Sua amizade e carinho mesmo
que você não acredite me faz um bem
enorme.
Deus abençoe seu final de semana
deixo aqui meu carinho e todo sentimento ,
mais puro que trago na alma.
Beijos no seu lindo coração.
Evanir.
Meu amigo lindo e de extrema sensibilidade seu poema.
Que para mim sempre foi rio de amor a flor da pele.

Fê blue bird disse...

Quando a saudade sai da boca de um poeta fica mais doce mais terna.
Lindo e tocante poema.

beijinho

Bruna Morgan disse...

sem palavras!

meu blog ♥

Jonatas Rubens Tavares disse...

Olá Evandro. O inverno tem, também em mim, esse intenso efeito nostálgico, perfeitamente traduzido em teus versos.
Um grande abraço

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu amigo

Por vezes é bom viajar no tempo, procurando a nossa inocência. Adorei como sempre.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Franciéle Romero Machado disse...

A intensidade do poema atinge e de certa voz corta e dilacera, toda essa dor pelo ar.São lembranças, são esperas.Esse atroz frio sempre ali vendo a sua vida, observando cada instante como uma sombra. Lindo poema, me emocionou sua inspiração em retratar uma temática assim tão profunda.

Abraços e sucesso!