sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Musa...



Desfila lépida pelas passarelas do céu anilado

Riso fácil ornado de doçura bendita

Abraça a lua e lhe deixa um hipnótico legado

O de lhe abençoar em sua trilha infinita

 

Desce a terra e esparge sua tenra loucura

Lírios e amarantos se mesclam ao revigorado vento

Varre a descrença da minha vida antes impura

Cubra-me com seus beijos e finde meu lamento

 

Leva-me ao castelo dos eróticos devaneios adormecidos

Ama-me com a melodia ímpar de seu sussurrar

Finca a lança da paixão em meu peito outrora aturdido

Prenda meu coração ao seu para que juntos possam pulsar!