sábado, 1 de setembro de 2012

Prato do dia



Corte uma tira

 

de letras

 

Jogue em uma panela

 

de idéias

 

Acenda o fogo

 

das polêmicas

 

Misture com a colher

 

da prudência

 

Tempere com uma pitada

 

de indecência

 

Esfrie com o sopro

 

dos sentimentos

 

Coloque pausadamente nos pratos

 

da imaginação

 

Deixe os talheres cortarem as gorduras

 

da apatia

 

Mastigue com suavidade essa refeição

 

de fantasia

 

Servido no restaurante chamado:

 

“poesia”

14 comentários:

José María Souza Costa disse...

Eu vim lhe deixar um convite Convite
Passei por aqui, para lê o seu blogue.
Admirável. Harmonioso. Eu também estou montando um. Não tem as Cores e as Nuances do Vosso. Mas, confesso que é uma página, assim, meia que eclética. Hum... bem simples, quase Simplória. E outra vez lhe afirmo. Uma página autentica e independente. Estou lhe convidando a Visitar-me, e se possível Seguirmos juntos por Eles. Certamente estarei lá esperando por você, com o meu chapeuzinho em mãos ou na cabeça.
Insisto que vá Visitar-me, afinal, o que vale na Vida, são os elos de Amizade.

Deixe no comentário, o endereço do seu blogue, para facilitar, a retribuição em Segui-lo.

José María Souza Costa disse...

Em retribuição, estou seguindo o seu blogue. Agente vai lendo-se, sempre.
Tenha um fim de semana agradavel e harmonioso.
Felicidades, sorte e força

cirandeira disse...

Gosto dos "restaurantes" que mostram aos seus visitantes suas
belas, saborosas e picantes receitas poéticas. "O prato do dia"
está excelente!
Obrigada por compartilhá-lo.

um ótimo final de semana!!

Fernanda Curcio e Leonardo Macedo disse...

Que estes condimentos sempre permitam que nós, admiradores do seu espírito, possamos partilhar da minúscula partícula da sua essência.

O seu blog é um dos meus favoritos.Tens um estilo diferenciado, sofisticado.Gosto assim, de tudo que vai de encontro ao mundo que conhecemos, tão devastado e concreto.Por isso, continue encantando com suas metáforas únicas.

Abraços, Fernanda

Gianna disse...

Bellissima ricetta.

Buona domenica poeta!

aline disse...

nossa! que graça!
e aqui é um restaurante que eu sempre me farto de coisa boa.

Silvia Mota Lopes disse...

Muito criativo:)

PauloSilva disse...

É prato sempre servido de maneira diferente!

Pedrasnuas disse...

Muito bem! Aplausos!!! Por favor Reserve um lugar para mim nesse restaurante. Continuação de boas criações !

Janaina Cruz disse...

Ah, Evandro, essa receita é formidável, alimenta quando há fome de sabedoria, não engorda, não queima, não enjoa.

Essa eu garanto hei de experimentar... rs

Muitos abraços pra ti

AquilesMarchel disse...

parece a receita de alguns dos meus textos menos pela pitada de prudencia porque afinal eu larguei a faculdade de relações públicas e preciso me expor, não dou pra ficção por enquanto


muito bom saber que me lê
abraços poeta essencial!

Rodrigo Moura disse...

Gostei muito, Evandro!
Este poema é um convite a
consumir mais e mais poesia.
O mais curioso é que as palavras
também despertaram sabores
e imagens deliciosas!!!
Parabéns.

Grande abraço!!!

Fred Caju disse...

Tenho um poema homônimo a esse, mas por outro caminho. Abraço grande!

Parole disse...

Belíssima associação entre cozinhar e fazer poesia, Evandro.Assim como cozinhar é um desafio, pois sou péssima cozinheira, fazer poesia é um desafio que amo, mas que ainda peco muito pelos excessos, como quando cozinho. Adorei, querido.

Beijos e boa semana.