quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Vergéis da primavera

A música maviosa entoada por tua voz pura
É mágica centelha a deleitar encantos
Beleza exteriorizada em valsa de candura
Afugentando os negros e funestos prantos

Tudo ao redor se rende ao inigualável momento
As estrelas rutilantes beijam o luar
O eflúvio almiscarado do amor é trazido pelo vento
E as ondas calmas, repousam nos braços do mar

Como criança, ajoelho-me a ti, musa luzente
Quero tocar-te para certificar-me que não és quimera
Afaga o espírito e o coração deste pobre carente
E leva-me entrelaçado aos teus braços pelos vergéis da primavera

21 comentários:

Marly Bastos disse...

Estava com saudades dos teus versos aqui.Adoro sua expressão com palavras contraídas, com quedas fonéticas, na linguagem culta, e falando de amorrrrrrr!
E as metáforas sociais é de dar nó nos neurônios, mas adoro!
Beijokas doces e paz sempre Evandro.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Quanto tempo não o visito...

Uma beleza de poema numalinguagem que apenas os verdadeiros poetas ousam usar!


Um beijo!

Sonia Regina

Gianna disse...

Bei versi.
Grazie della visita.
Un abbraccio

Aline Teles (Sensitivity) disse...

Beleza de poesia. Encantador. Beijinhos.

Maahry! disse...

Uau, impossível não querer ser levado por esse jardim de flores...
"As estrelas rutilantes beijam o luar"... Amei essa frase!
Ótima semana!
Bjoo..

Luna Sanchez disse...

E quando a gente toca e de tão bom e real, ainda não parece verdade?

Como proceder, Evandro?

Rs

Um beijo, é lindo o que escreveu, parabéns.

Fred Caju disse...

Show de bola, Evandro!

Nuvembranca disse...

Linda poesia, linda demais. Estrelas beijando a lua, nossa, que belo poema. Parabéns.

Fátima disse...

Oi Evandro,

Que mais precisa um poeta com uma musa dessas...te-lá, talvez.

Doce tuas palavras, lindas!!

Ah! Parabéns pelo livro, fico muito orgulhosa quando vejo essas realizações de sonhos, quem sabe eu um dia... quem sabe..rs

Beijo meu

Poesias-Franciéle R.Machado disse...

*__*
Admiro tudo o que você escreve...A leveza desta bela poesia, me faz lembrar o que escrevem os grandes poetas, você se doa a poesia de uma forma que tudo o que vejo que você escreve é simplesmente muito bonito e de se sentir que a poesia pulsa sempre dentro de nós embora em alguns momentos se esqueça.

Linhas preciosas, admiro seus poemas! =)

Abraços! Sucesso!
Boa Noite!

Jorge Pimenta disse...

evandro,
a palavra é um corpo feminino, seja quimera ou realidade. e o parnaso logo ali, nas mãos do poeta!
abraço!

Sandra Botelho disse...

Alguns momentos são tão inexplicavelmente belos,que o tempo se curve e silencia.Bjos achocolatados

Bruna Fávaro disse...

Suas poesias são encantadoras.
Parabéns pelo Blog!

Obrigada pelo seu comentário no meu blog e por me seguir, retribuo o carinho.

de amor sem demora.

beijos de amora.

Rodrigo Moura disse...

Belo poema, Evandro.
Profundo e cheio de sensações.
Adorei.

Nara Sales disse...

Quem me levou entrelaçada foi tua alma nesse escrito. Sou apaixonada pela ternura de tuas palavras.

Cris de Souza disse...

Quanta sutileza no traço...

Um abraço!

Vanessa Souza Moraes disse...

Tudo que se toca é acessível? :)

Com Ou Sem Senso disse...

Olá, Mezadri!
Estou a extinguir o blog do Sem Senso, que você segue.
Moro perto de Votorantim, naquela cidade grande e nela grudada...rs
Vou parar de bloguear para tentar terminar meu livro e publicá-lo, no próximo ou no seguinte ano.
Abraço e sucesso para você!
Celma Terra ("mãe" do Sem Senso)

Hana disse...

Vir aqui é uma festa em cada texto, poema uma viagem, uma surpresa.
Estava com saudades deste seu espaço, pois fiquei longos meses fora da Net e agora volto aos poucos visitando os amigos!
Com carinho
Hana

Poesias-Franciéle R.Machado disse...

Seus versos sempre perfeitos! Muito Bom...Parabéns! ^^

Jacqueline disse...

Poesia maravilhosa.
Depois dos vergéis da Primavera, cores de Outono para o seu versejar!
Abraço de poesia.