quinta-feira, 23 de junho de 2011

A meretriz...



Com orgulho, divulgo aos amigos que fui o vencedor de um dos mais tradicionais concursos de poesia de Sorocaba-SP, o "Depoesia", em sua 12ª edição, organizado pelo Instituto Darcy Ribeiro no Bar Aurora Boreal.
O concurso contou com 42 poetas de Sorocaba, Votorantim, Salto, Mairinque, Itararé e São Roque.
Abaixo segue a poesia intitulada "A meretriz...", com a qual venci o concurso:



A meretriz...

A meretriz galgava sua Augusta beleza
Arrulhando pela brisa de inverno quente seus desejos proibidos
Maquiando suas rugas e desfilando pelas ruas
Altaneira, lambuzando sua face de inocência pervertida
Colorindo com um batom rosa choque seus lábios partidos

Desfilando em micro vestido de moda ultrapassada
A epopéia que era ornada pelos uivos da madrugada
Desferidos por ébrios lobos famintos de carne mijada
Que em bolsos furados e suados
Multiplicam os caros reais em baratos furtos
Para cortejar a dama que em chamas aguarda um bem-feitor
Para uma refeição rápida de falso amor sem pudor

Príncipe e princesa do lado “B” da grande cidade
Abraçam-se e insanamente dopados
Viajam em esquinas de fumaças e batimentos cardíacos acelerados
Derrubando a cada andar uma lata de lixo cheia de triste dramaturgia
Irrompendo pelas escadarias pútridas de um palácio de quinta categoria
Tropeçando em baratas graúdas e teias de aranha
Devorando-se em um ninho poeirento de vadias paixões
Onde formigas errantes furtavam restos mortais
De porcos humanos ocidentais

Após a esfregação carnal
Bebem no bico um conhaque quente e vencido
Fumam um maço de cigarros Continental
E depois de deixar vinte contos sobre a mesa
O “príncipe” volta para o bar do rato
E a “princesa” descabelada, agredida e literalmente “fodida”
Volta à sarjeta descalça levando nas mãos o par de vermelhos sapatos
E no coração a honra cada vez mais ferida.