terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Serrana tragédia insana

Rio inóspito de jubilosas esperanças
Escombro solitário ornado de corações pranteados
Ouve os intermitentes sussurros das maltrapilhas crianças
E a dor sangrenta dos adultos moralmente esquartejados

Vê o rastejar de almas esmaecidas e pisoteadas
Pelos passos sujos e obscuros da impunidade
Clamando ao céu uma pausa de suas bárbaras trovoadas
E ao sol um sorriso duradouro iluminando os restos da cidade

Vê farrapos de ossos perdidos sem palpáveis horizontes
Emoldurados em exposição escura da rústica vida
Velando suas memórias em fotos reproduzidas nas frontes
Estilhaçados fantoches dançando na terra carcomida

Rio de desprovido povo digerindo o alimento da morte
Servido frio pelo atroz sopro do temido vendaval
De joelhos, evoca a seu Deus um pouco de sorte
Enquanto os abençoados requebram seu desprezo no carnaval...

21 comentários:

Francisco Jamess disse...

cara, queria muito acompanhar o nível do seu vocabulário. eu sou lacônico demais, então não guardo as palavras até chegar ao próximo verso, mas eu entendi (acho) o sentimento, e isso é o importante.

http://monologoscomdeus.blogspot.com/

mARa disse...

Parabéns!

Sensível observação!

bjo!

(gostei e voltarei)

Thomas Albuquerque disse...

Obrigado pela visita em meu blog...boa semana.

Lara Amaral disse...

Forte!

Abraço.

Arquimedes Diniz disse...

Carnaval, o deleite da carne corrompida em tempos de outrora, naquele semblante eufórico e um desejo ardente de ser algo que não se é em instantes. "Tudo passa, na verdade tudo já passou, o sorvete que parece doce amargo sempre desce" Trecho de uma das minhas poesias.

ღ Sensivity ღ disse...

Uma crítica de forma belamente culta. Parabéns. Beijinhos.

Marinha disse...

Que texto forte! Reflexão necessária!
Gostei da vida sensivel e inteligente que encontrei aqui!
Bjo e paz no teu final de semana.

Priscilla Cavazzotto disse...

Enquanto os abençoados requebram seu desprezo no carnaval...
Nossa!
Sem palavras.
Um bom final de semana!

Helena disse...

Intenso, sensível, reflexivo, forte. Mas essencialmente poético!
Gostei bem, Evandro!
Aplausos pela qualidade e beleza de tudo o que li aqui.
Meu carinho.

Vanessa Souza Moraes disse...

Doloroso.

Lila Boni disse...

Foi me visitar...agora terá que me aguentar por aqui toda hora!!!!
Mil beijos, obrigada pela visita e carinho!
Aqui estou no mundo que pedi a DEUS...poesia...poesia...poesia!!!!!
Volto...

Marly Bastos disse...

"Vê o rastejar de almas esmaecidas e pisoteadas
Pelos passos sujos e obscuros da impunidade". Que triste realidade essa Evandro, tão bem traçada nos teus versos.
Tenhas um dia abençoado!
Em tempo: Obrigada pelas visitas que me fazes, é muito bom receber amigos.

T@CITO/XANADU disse...

Debaixo do chão que o come
O homem a vida renova.
E sobra apenas seu nome
Para, da vida, dar prova...

Tácito

PS - Honrado e agradecido pela visita e o comentário elogioso em xanadu/poesias.
Abraços!

Úrsula Avner disse...

Oi Evandro,

seus textos ostentam metáforas bonitas e interessantes... Grata pelo carinho lá no meu blog. Grande abraço.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Evandro!

Sua referência ao carnaval diz tudo:o país para e a miséria continua...

Seu poema é uma denúncia à indiferença humana!!

Forte,sensível e de uma beleza contundente!

Um beijo e parabéns!!

Sonia Regina.

Claudio Poeta disse...

Excelente criação! - Parabéns! - Abração

Sandra Botelho disse...

E muitos na desesperança de um amanhã, se despedem de sorrir.
Bjos achocolatados

Sandra Botelho disse...

Vim desejar-te um bom feriado.Bjos achocolatados

Arquimedes Diniz disse...

Oi passei pra ver se tinha novas poesias. E como anda o processo criativo? Abçs

Priscilla Cavazzotto disse...

Olá!
Passando para lhe desejar uma semana iluminada!
Beijos meus

C. disse...

que lindo aqui
;)