sexta-feira, 19 de março de 2010

Rosas e lírios

Rosas e lírios presentes
Ao redor desta tumba velada
Ornando as orações de seus entes
Vertendo prantos nesta noite enregelada

Um pranto insistente e arrulhado
Retratando tristeza em suas frontes
Relembrando vívidos sonhos do passado
Jorrando límpidos como água das fontes

Passos suaves são dados a esmo
Tentando para este momento, vãs explicações plausíveis
Estudando ao lado, as mais diversas reações sensíveis
Chegando à conclusão, que não adianta mesmo

E neste passo trevoso e perturbador
A morte arranca nossa lucidez
Indigesta e egoísta, não liga para nossa dor
Rindo de nossa tênue palidez

Mesmo assim, o pranto é por mim solto devagar
Entregando-te ao teu riso, ó negra senhora
E o amigo que pede para eu ir embora
Inerte, segura as lágrimas por vergonha de se entregar

20 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Bonito.

Hana disse...

Olha, é a nossa única certeza, embora seja ingrata a morte não é o fim, eu acredito nisso. Lindo poemas que nos faz refletir, tenho que viver o presente da melhor maneira possível, o amanhã é mistério!Obrigada por seu afeto em meu blog!!
com carinho
Hana

Lara Amaral disse...

Rosas e lírios para simbolizar o mistérios de quem se vai.

Gostei dos seus poemas.

Beijo!

Lou Vilela disse...

Belo e de sabor agridoce!

Abraços, meu caro!

Priscila Rôde disse...

Seus poemas são lindos. Arrancam suspiros, risos. Um enlevo Evandro. Obrigada pela visita! Um beijo enorme, no seu coração.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Belo e melancólico******************Gostei muito!
Beijos muitos****************************
************
Soneto
*Attendre Sans Espérer*

Paul Verlaine


Os meus olhos teimavam em te ver:
Pois neles se gravara a tua imagem,
Para que não pudesse eu a esquecer,
E fui à tua espera ali na margem...


No coração pulsava este dever:
Esperar-te sozinha na passagem,
Mas se desesperava o meu querer,
Pois os meus olhos viam só miragens...


Então, a alma iludida o cultivou
Num jardim que do tempo o protegeu,
E a flor do sonho ao sol desabrochou...


Aquele amor-perfeito não morreu,
Porém, a alma, que só em ti pensou,
Das esperanças vãs, adoeceu...

Soneto da Renata para o querido Evandro*****************
+ Beijos*********

Úrsula Avner disse...

Oi Evandro, bonito texto rico em belas imagens poéticas... Prazer em " te ler". Obrigada pela visita e gentileza do comentário e interesse em acompanhar meu trabalho. Também passo a te apreciar mais de perto. Um abraço,

Úrsula

Leca disse...

Adorei teus poemas...
Parabéns pelas palavras escolhidas...
Parabéns pelo livro...
Beijo
Leca

Albuq disse...

Oi Evandro!
A morte é um mistério... mistério esse que de forma tão significativa e ao mesmo tempo "poética" você retratou. Muito legal, porque nos leva a refletir!
Lindo!

Vou te ler sempre agora, adorei!
Ps.: obrigada pela visita e comentário no meu blog!

bjs e ótimo fds

asondasleiaby disse...

Gostei muito. parabéns poeta!!!

MARIA L. BÓZOLI disse...

Bom dia Evandro!

Rosas e lírios para simbolizar o mistérios de quem se vai.

Melancólico e lindo ao mesmo tempo.
Um Domingo abençoado prá voce!!

Reflexo d Alma disse...

Ei!
Chegando pra conhecer
seu espaço e ja
encantada.
Volto com calma mais tarde,
pra ler e comentar.
Vou adorar que passe la no meu canto.
Bjins entre sonhos e delírios

Cris de Souza disse...

Gostei da voz...
Belo, belo !

@priihkanda disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário, Evandro.

também gostei do seu poema, parabéns.
quando tiver tempo, vou ler tudo o que voce ja escreveu.

beijos

Anne Lieri disse...

Evandro,rosas e lírios são flores tão lindas,mas enfeitando a morte tornam-se tão mórbidas!Triste e comovente seu poema,onde tb senti como somos impotentes diante dessa senhora vestida de negro!Adorei sua poesia!Abraços,

Nydia Bonetti disse...

A senhora que nos iguala. Rosas e lírios são para ela. Abraço, Evandro.

Dani disse...

sua poesia me lembrou uma que eu li essa semana!
eu gostei, vc escreve bem!


beijosss

Arthur Dantas disse...

vc explicou perfeitamente o que vi alguns dias atrás... meu amigo perdeu um ente da família... muito triste...

Mariana Tatos disse...

A morte é um fato que exprime que a natureza é e sempre fui superior a nós seres humanos...
Creio que a humanidade está começando a engatinhar com ela...

Bjs
Mari

Jackie Kauffman Florianopolis-SC disse...

Falas de mim, dos meus sentimentos e da dor da saudade e da partida sem volta. Um abraço.