terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Odor da memória...

É infindo e harmonioso o canto da caserna

A despertar vívidos girassóis em seus vergéis

Lá de cima, o sol regando a relva com sua luzerna

Nas prateadas paredes, os uniformes verdes vestem os tropéis


Sonhador soldado de coração armado

Desbravando terras em púrpuras batalhas

Segue adiante e no errante caminho adornado

Dos jovens ossos repousando no leito das migalhas


E de um antagônico brado foi anunciado o aleivoso destino

Mostrou-se em sua fronte o pranto puro de um menino

Mãos adormecidas sobre o peito estilhaçado

O corpo ensangüentado banhado em lírios

Odor da história despedaçando a memória de seus delírios

Filho da guerra, viraste semente da terra, em seu branco jazigo

19 comentários:

Jorge Elias disse...

Caro Evandro,

Passo para agradecer tua visita.
Como estou de passagem na casa de um amigo, estou apenas usando rapidamente do PC para responder mensagens.
Retorno com calma para mais leitura.

Abraço,

Jorge Elias

cirandeira disse...

Olá Evandro, vim agradecer sua visita e seu gentil comentário.
Aproveito a oportunidade para parabenizá-lo por seus poemas tão fortes, contundentes e criativos!
Felicitações pelo lançamento de seu livro!
Um abraço e sucesso pra você.

Paulo Sempre disse...

Obrigado pela visita.
Há nos poetas o mistério dos segredos que eternamente guardamos. Ser poeta é ir mais longe...

Abraço

Paulo Sempre disse...

Ser Poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

( Florbela Espanca- poetisa)

Múcio L Góes disse...

valeu, Evandro, pela visita, comentário e força!

parabéns pelo livro, um abraço!

T@CITO/XANADU disse...

As palavras silenciam
os rifles
mais calam pelo vazio
as balas do que já fala.

P A Z !
Tácito

PS - Obrigado por visitar e comentar em xanadu/poesias.

Poétesse disse...

Vim devolver a sua visita e comentários. Parei um pouco para ler e gostei, muito. Poesia forte e ao mesmo tempo delicada, gritante e ao mesmo calma!! Emocionei-me com a leitura do Mendigo e o Fora Lei! Adicionei-o aos meus favoritos, espero que não se importe! PARABÉNS!!

Dina a Ciganinha disse...

Boa noite Evandro!
Passando pra agradecer sua nobre visita, honrada e lisonjeada com seu incentivador e gentil comentário.
Um texto escrito com maestria, estampando a realidade nua e crua do nosso dia-a-dia!
Seus textos dispensam qq comentário, são profundos,bem escrito, rimas e harmonia perfeitas.
Desejo sucesso!
Se pudere sinfor-me o preço do seu livro , gostaria de adquirir.
Gostei de cara dos seus escritos!
Meu abraço!

Lou Vilela disse...

Oi, Evandro... estou por aqui.;)

Abraços,
Lou

LiLa BoNi disse...

Tambem serei tua seguidora...
Beijos e obrigado pelo comentário...mas o poema não é meu e desconheço o autor!!!!
Li belíssimos escritos aqui!!!
Volto c certeza...agora que serei tua seguidora !!!

Adriana Godoy disse...

Interessante seu poema, tive que ler algumas vezes pra tentar apreender o sentido e gostei. bj

in natura disse...

De lunático só o nome, és coerente e um ótimo escritor! Adorei a sua visita. Beijuss

Vieira Calado disse...

A minha 1ªvisita.

Gostei do seu blog.

Um abraço.

Sonhadora disse...

Lindissimo poema, passei gostei.
Vou voltar.

Sonhadora

Edilene Santos disse...

Obrigada pela visita em meu blog.Adorei o Lunático!Parabéns pelo trabalho,pela Poesia, fantástico...virei mais vezes.

Lid´s disse...

Salve salve novo amigo poeta, que de Lúnatico não tem nada rss.
O homem é imprevisível. O homem é sempre um canal aberto... uma fonte de mil e uma potencialidades...

Sintaxe à vontade para passear no 1 1/2 de Mim.

àsé

lucirleia@yahoo.com.br disse...

Evandro, estou encantada com as suas poesias! Aproveito para te parabenizar pelo livro!!
bjs e apareça mais vezes, foi muito gentil..
bjs pro cê! da mineirinha aki

Jéssica V. Amâncio disse...

Muito comovente. Eu também adoro Augusto, Poe... ai ai. São muito bons. Também gosto de Álvares de Azevedo.

Hana disse...

Este poema me toca profundamente lembro do meu avó em épocas de guerra!
Mas vamos falar de coisas lindas, seu comentário no blog do tanta liberdade foi divino! Vou contar um segredo ele é meu filho...rs...Tenho muito orgulho, por isso te falei!Assim como me orgulho de cada comentário seu em meu blog.obrigada.
Com carinho Hana