sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O renegado

Vagando trôpego por nebulosos caminhos
Driblando lixos inorgânicos e fétidos
Tua pele cortada pelo vento em negros moinhos
Destino estrelado em luares pérfidos

Fronte enrugada em tristeza delineada
O escárnio diário massageando teus ouvidos
Velejaste sozinho em urbanas ondas desgovernadas
Ancorando em becos ornados de maltrapilhos espavoridos

A parceira fome urrando nua e crua
Tal qual uma fera angustiada no cio
Guiando-te em desmaios por entre avenidas e ruas
Esculpindo nódoas eternas em teu coração doentio

Espectro humano em lamúrias acorrentado
Alquebrado sem anúncio alvissareiro
Sem casa, sem dinheiro, sem nenhum legado
De propriedade apenas o papelão em forma de travesseiro

Errante itinerante em tua saga sem alento
Arrulhando dignidade em teu lento desfilar
Clamando altruísmo dos jovens de passos desatentos
Açoitando os olhos com teu constante chorar

Em um rústico breviário segue teu calvário colhendo lúgubres quireras
Renegado moribundo com tuas mãos calejadas e pernas feridas
Ainda sonhando em uma quase impossível e auspiciosa quimera
De ser aceito neste país com tantas almas alienadas e perdidas

25 comentários:

Fabio Rocha disse...

Cara, perfeito. Os passos de um poeta hoje. Talvez, sempre... Abração

Lou Vilela disse...

Tema oportuno, contundente! Gosto de textos fortes como esse.

Abraços

Poétesse disse...

Olá Evandro,

É sempre um absoluto regalo vir até aqui! A sua poesia contém um aspecto drama, você é perito na "mise en scène" dos seus poemas... isto quer dizer que as palavras não se contentam de contar a história mas elas interpretam a história também, como se leitor fosse também um espectador face ao grande ecrã!! Fantástico!

Hana disse...

Olá, vim visitar seu blog através do tanta liberdade, achei confortável e adorei seu cantinho!
venha me visitar quando quizer.
com carinho Hana

HNETO disse...

"Vagando trôpego",
"lixos inorgânicos",
"escárnio diário",
entre outras tantas
e bem construídas
fortes imagens.

Nydia Bonetti disse...

Tantos renegados... me emocionou teu poema, Evandro. Abraço.

Mariana Tatos disse...

seu poema é um grito dilacerante de raros... que bom que este renegado sonha, sonhar é sempre bom, mas nunca espere tá, a palavra esperança se encontra em alguém que só espera...
beijos grandes e sucesso
mari

Fred Matos disse...

"De propriedade apenas o papelão em forma de travesseiro"

No mínimo o travesseiro.

Muito bom, Evandro.
Grande abraço

T@CITO/XANADU disse...

Nesse mundo há muitos sussurros,
Cansaços e estorvos.
A infância é um cárcere de ternura,
Mas ainda assim um cárcere.
a vida adulta é um absurdo,
somos torvos e apressados,
Eternos desconsolados.

P A Z !
Tácito

Hana disse...

É tão reconfortante saber que não estamos sozinho nesta caminhada, pois encontrei um lunático como eu. Tenho imensa gratidão por vc ter este delicioso lugar, onde me sinto em casa, em meu cantinho.Que cada vez mais vc esteja iluminado para novas poesias tão cheia de magia e luz. Obrigada obrigada.
Hana

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

neste país com tantas almas alienadas e perdidas, fui aceita por mais um alguém, um alguém bom! E bota bom nisso! Excelente ******************************************


*POR VOCÊ E POR MIM
Ao Evandro, simplesmente porque sim.

Nas palavras em que me debruço

Nos degraus em que contemplo

Rio soluço

Não me importa o tempo.

Vejo os seus dedos

Seu corpo em movimento

Que dança a meio no firmamento.

Escrevo por você e por mim

Pelos sentidos e sentires afins.

Maravilhoso encantamento!

Lindo divino que me inspira!

Sou por quem você suspira.

Percebo ao luar o seu sorriso

Pétalas caem do Paraíso,

Enchendo o mundo de esplendor,

Envolvendo-me numa ímpar onda de amor...*

Beijos, meu Anjo!
Muito obrigada!
+ *sempre com você*+
Nana bem!
Teadoro
Renata

JADY*ALVES disse...

Este teu apelo gritou em meu ouvido e sou solidaria a dor de tantos desabrigados que se encontram vida afora poeta.
A tua visita muito me envaidece, pois teu talento é digno de aplausos e eu te aplaudo em pé caro amigo poeta.
Grata visita. Abraços e carinhos da Jady pra tí.

Vanessa Souza Moraes disse...

De ser aceito neste país com tantas almas alienadas e perdidas


Um sonho distante, suponho.

Jéssica V. Amâncio disse...

Adorei! Essa forma de escrever se inspirando em Augusto dos Anjos e usando temas atuais, ficou muito boa!
Vou te linkar, gostei.

Arthur Dantas disse...

É impressionante como cada verso de seus poemas tem sentido completo sozinhos, isolados, mas trabalham perfeitamente quando são dispostos juntos. Me faz pensar que talvez possa quebrar seu poema e montá-lo da forma como eu quiser e ele vai continuar sendo o mesmo. Só artista consegue isso.

MARIA L. BÓZOLI disse...

Bom dia!
Uma semana de paz e luz prá voce.
Agradecendo o carinho da sua visita
Lindo blog...lindos textos.Obrigada por vir.

Abraços M@ria

Adriana Godoy disse...

Um poema tão intenso como a fome. Gostei bastante. bj

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Que saudade!
*******
Pra vc, querido*****************************

*Conosco há sempre uma força invisível um anjo que nos orienta nos impele constantemente para frente*

Tagore

Não me procures

É só um momento

Eu só me perco

No espaço e no tempo

Acalentada pelo lume de Deus

Com a minha pele multicores

Eu danço giro em meio às flores

Emitem ondas de luz o corpo meu

Acima das nuvens

Além das tormentas

Sempre sinto a estranha

Necessidade de sonhar

Leva-me ao Paraíso

No meio das árvores

Aqui não há espinhos

Nas flores e nas rosas

Lá frutas impenetráveis

Tapetes verdinhos

Esse canto de Paraíso existe

Eu tenho certeza*

Poema da Renata.

Beijos******************************
Boa Tarde!

Whesley Fagliari disse...

Saudações caro poeta,

Passei por aqui e tudo aqui me tocou de forma impar e doce... Principalmente a simplicidade com que vais até as profundezas... Parabéns!!

Volto sempre que possível...

Luz e paz!!!

Com apreço sincero,
Whesley Fagliari

Hana disse...

Querido amigo, respeito demais seus comentários, e refleti, tenho certeza que vc esta muito certo por isso mudei minha postagem.
Tirei a parte da escolha amor ou paixão!
Profunda gratidão e apreço que tenho por seu blog, e a sua pessoa, muito grata. E mais que obrigada mesmo!
Com carinho Hana

Hana disse...

Emprestei este poema do Pablo para você!
Minha humilde homenagem a um grande poeta VOCÊ!

Se cada dia cai

Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.

há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

Pablo Neruda (Últimos Poemas)

Denise Portes disse...

Belo poema parabéns.
Um abraço
Denise

Hana disse...

Estou aqui de novo, vim desejar um fantástico fim de semana, e vim recarregar minha bateria lendo seu post, sempre.
com carinho
Hana

Arthur Dantas disse...

Caro Evandro,

sua admiração para mim é uma honra. Muito obg.

Hana disse...

Hoje só deixarei um presente espero que goste, é com carinho que ofereço.

Terra
Roupa Nova
Composição: Beto Guedes - Ronaldo Bastos

Anda, quero te dizer nehum segredo
Falo nesse chão da nossa casa
Vem que tá na hora de arrumar
Tempo, quero viver mais duzentos anos
Quero não ferir meu semelhante
Nem por isso quero me ferir
Vamos precisar de todo mundo
Pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
Vamos precisar de muito amor
A felicidade mora ao lado
E quem não é tolo pode ver
A paz na Terra, amor
O pé na terra
A paz na Terra, amor
O sal da Terra
És o mais bonito dos planetas
Tão te maltratando por dinheiro
Tu que és a nave nossa irmã
Canta, leva tua vida em harmonia
E nos alimenta com teus frutos
Tu que és do homem a maçã
Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois
Deixa nascer o amor
Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor
Deixa viver o amor
(O sal da terra)

com carinho
Hana