domingo, 13 de janeiro de 2008

É natal...

22:00
24 de Dezembro
Família reunida
A mãe (minha avó) com sua fraqueza
na cabeceira da mesa
suspirando mais um momento materno
em sua vida

Rodeada por coxinhas,
kibes e empadas
Chorando ao relembrar
o tempo duro das enxadas

Mas os filhos,
noras e netos
não prestam atenção
Eles preferem um mórbido método
de diversão
“Um baile de fantasias”
Os filhos (meus tios) vestem máscaras
e bailam pela casa

A valsa da falsidade os conduz
até a celebração do nascimento
do menino Jesus
O salão é escuro
cegando a raça e alimentando
invejosos pensamentos

Os risos são fáceis
Seus dentes são presas afiadas
O enredo é o mesmo,
tapinha nas costas,
piadas sem graça e cervejas geladas

As noras (minhas tias)
são marionetes de seus maridos
Pescam informações
Plantam discussões
Semeiam confusões
Os netos (meus primos) são lamentáveis,
sem cultura,
falsos burgueses,
mimados e irritantes
não sendo sombra
de seus retratos com dez anos de idade
pendurados nas estantes

00:00
25 de Dezembro
É natal!
Todos riem,
choram,
se abraçam e comemoram!

Depois da festa,
bêbados e satisfeitos pegam seus carros
e saem pelos cantos
E a mãe fica novamente sozinha
relembrando na cozinha
o tempo duro das enxadas
com uma pia imensa de imundas louças
a serem lavadas

E eu?
Ainda bem que não participo mais desta heresia
Prefiro ficar em casa escrevendo poesia

3 comentários:

HEIDE disse...

Cometários sobre falsidade de um (falso poeta) há há há.....Fala de primos ignorantes? Quem os pós graduados com cargos importantes em empresas importantes???? Não fazemos rimas ou comentários sobre drogas, somente sobre família, amor e filhos.... Não é a toa que ninguém comenta em seu blog. Já vendeu algum livro????

Thaís disse...

Fantasia é você, que se diz poeta, além de por fantasias de sofrida e ignorante na sua própria família.

LÁGRIMAS DE UMA FLOR disse...

Esse povo é ridículo, pois preferem fechar os olhos pra merda que eles mesmo fazem. Festa de Natal é pura hipocrisia e heresia, e eu concordo com você em gênero, número e grau! E quem quiser que diga o contrário, não estou nem aí, pois é a minha opinião. Falso poeta? Fala sério! E quem disse que temos que escrever só sobre a beleza que vemos na vida? Prefiro escrever sobre o que todo mundo vê e fingi não enxergar. Só contrariando o nome de seu blog, não somos lunáticos, mas, usando ele também como única forma que encontramos para viver nesse meio aguentando tudo isso! Continue sempre escrevendo, que continuarei aqui te seguindo, de perto!